Após o caso Cabo Gilberto, uma dúvida: vai ser exigido passaporte sanitário nas festas do réveillon?

Por Josival Pereira

O imbróglio entre a Assembleia e o deputado Cabo Gilberto gerado pela presença do parlamentar sem vacinação no plenário e a exigência da Casa para que o mesmo se vacine acende luz na perspectiva da gestão do passaporte sanitário já aprovado pelo Legislativo estadual e anunciado pelo prefeito Cícero Lucena para João Pessoa.

Adiante-se uma casa no jogo: festas públicas do réveillon. Em João Pessoa, na praia; em muitas outras cidades, nas praças. Lotação máxima.

A pergunta que se impõe é a seguinte: vai se exigir passaporte sanitário para as pessoas participarem das festas públicas e dos shows na passagem do ano novo?

A possibilidade de grandes aglomerados é real, a realização de shows está sendo anunciada aos montes.

Admita-se que serão exigidos os passaportes de vacinação. Haverá logística para tal?

Decida-se ao contrário: não, não serão exigidos os passaportes sanitários.

Outra pergunta se impõe: quer dizer que os passaportes sanitários a serem implantados agora valerão apenas para bares, restaurantes, estádios de futebol e outros eventos da iniciativa privada e não valerão para as festas públicas de fim de ano? Dois pesos e duas medidas?

Ou ainda: quer dizer que os passaportes só terão dois meses e meio de validade?

O passaporte sanitário já tem o aval de cientistas da Fiocruz como um instrumento importante para estimular a vacinação no país e ajudar na contenção da pandemia. Mas, além das questões formuladas acima, outros problemas a serem resolvidos.

No Estado, apenas 35% da população está totalmente vacinada. Em João Pessoa, está se chegando aos 45%. Existem outras cidades um pouquinho mais avançadas, mas um monte mais atrasadas. A média é a do portal da vacinação do governo.

Quer dizer, então, que apenas menos de 40% da população terá o direito de se divertir ou frequentar restaurantes? Serão permitidas outras provas negativas de contágio da Covid-19?

A solução seria a aplicação da segunda dose rapidamente nos próximos dias. Todas as questões estariam solucionadas, mas, sinceramente, não dá para acreditar.

As autoridades vão ter que avaliar bem a viabilidade do passaporte. O risco é de aparecerem Cabos Gilbertos em tudo que é bar, restaurante e festa.

Adicionar comentário

PUBLICIDADE
Blog do Josival Pereira © 2022 . Todos os direitos reservados.